Sobre traição, Adnet, Calabresa, redes sociais e falta de limites.

A maior notícia dos últimos tempos com toda certeza foi a pulada de cerca mau concluída do Marcelo Adnet com uma moça até então misteriosa.

A minha primeira reação ao ver as fotos foi pensar instintivamente na Dani Calabresa, como se ela fosse uma amiga. Eu não a conheço nem faço parte de nenhum fã clube, mas exerci o meu lado humano colocando-me no lugar do outro para  tentar entender a dor/raiva/angústia (coloque qualquer sentimento) sentida naquele momento.

Ser traída não é fácil de forma nenhuma. Ser traída em rede nacional, putz..não consigo nem imaginar. Pior ainda é: 1)ser traída; 2) em rede nacional; 3) com as pessoas dizendo o que você tem que fazer.

Em casos como esses ( e em muitos outros triviais) a gente se dá conta de quão fora da casinha as pessoas estão. Munidas pela capa da invisibilidade fornecida pela internet, o povo acha que pode sair por aí falando o que bem entender, sem ao menos se preocupar com o receptor de tamanhas grosserias. Nos tornamos um perfil no facebook/ instagram/ twitter e deixamos de ser seres humanos que se alegra, chora,sofre, e sente. Os artistas então, nem se fale. Às vezes eu acho que eles devem mesmo ganhar muito dinheiro para poder pagar um analista bem poderoso, não deve ser nada fácil ser atingido por tanta pedraça.

Eu, mera mortal com uma vidinha sem graça, não sei se aguentaria a tanto achincalhamento. Tenho quase certeza que sucumbiria ao anonimato e correria para as montanhas. No final das contas, essas redes sociais só servem para escancarar o quão individualistas nós somos. Como nos sentimos felizes/excitados com a infelicidade do outro, o quanto não ligamos para o sofrimento alheio e não suportamos viver com o sucesso do próximo.

O que  o Adnet fez, não merece de forma alguma uma salva de palmas. Não vou nem entrar na questão do certo x errado, da fidelidade x casamento, pois acredito que cada um tenha sua verdade. Mas ainda sou daquelas que acha que errar é humano e perdoar é divino, se for de coração.

Se a Calabresa resolver por perdoar e continuar o seu casamento, que ela seja muito feliz assim e que não fique nenhum resquício de desconfiança e amargura. Se ela decidir em seguir sua vida sozinha, que ela seja muito feliz também e saia fortalecida do episódio. Afinal, na vida tudo é aprendizado.

O que não devemos é atirar pedras em nenhum dos envolvidos, é querer ditar o nosso modo de pensar às outras pessoas é invadir tão feroz e  cruelmente a intimidade dos outros, mesmo que elas sejam públicas. Até por que apenas o trabalho deles é público, a vida pessoal só pertence a eles.

As redes sociais deveriam servir para unir os amigos, trocarmos idéias, dicas, informações e não para apedrejarmos os outros com a certeza da impunidade. Quem tem caráter, limite e bom senso o usa em qualquer ambiente em qualquer condição.

No final das contas tudo trata-se apenas de um casal, gente como a gente atravessando um momento difícil e se tem algo que eu me identifique com a Dani ( íntima já) é que assim como ela, eu também já fui chifruda e sobrevivi, ela também irá.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s