0

Consumo Consciente: Lojas artesanais

A frase ” muda que o mundo muda com a gente” nunca fez tanto sentido na minha vida.
De uma inquietude que me incomodava na alma e uma mudança geográfica que tratou de organizar as agonias da vida, muita coisa tomou um outro sentido para mim, durante os últimos dois meses, principalmente no que diz respeito ao meu consumo.
Quem me conhece sabe que eu sou idealista, que eu me incomodo demais com as mazelas sociais, que eu sofro com as injustiças e que eu tenho dificuldade com as caixinhas que tentam nos colocar durante a nossa caminhada, porém, quando você está inserida num meio que não liga tanto para os seus incômodos, de certa forma você é levado pelo conformismo e acaba nadando com a maré por que está cansada demais para ir contra ela. 
Então, por mais que você se incomode com o capitalismo selvagem, com as injustiças, com a ausência de valores, e com o trabalho escravo, você simplesmente pensa “não há nada que eu possa fazer para mudar esse mundo sozinha, afinal, uma andorinha não faz verão”.
Pois bem, de uns tempos para cá foi iniciado um movimento dentro de mim que acredita que uma andorinha faz muito mais verão do que nenhuma. Que quando a gente se dispõe a ir contra a maré, irá encontrar meio sem querer, alguém que te empreste remos e nade com você e, de repente, milhares de andorinhas estarão ao seu lado.
Por muito tempo, eu ia nas minhas horas livres ao shopping. Eu comprava na Zara, na C&A, na forever, na Luigi Bertolli e muitas outras, mesmo sabendo que elas se valem do trabalho escravo. Os motivos eram inúmeros, desde preço a facilidade e assim, eu ia me tornando uma hipócrita dia após dia, com um discurso lindo e uma realidade cruel.
É fato, que o ideal mesmo é algo muuuuuuuuuuuito difícil de alcançar. Que uma hora ou outra a gente vai comprar numa loja grande por que a necessidade vai exigir e não é preciso se sentir culpada por isso, a gente faz o melhor de nós e espera que o mundo retribua da mesma forma ( sendo idealista e romântica). 
Por conta de tudo o que eu disse acima, comecei a montar uma rede de fornecedores artesanais para as coisas que eu gosto e que eu preciso consumir, alguns são em Blumenau, mas outros são lá do outro lado do país em Recife, e as redes sociais (principalmente o instagram) diminuem a distância que há entre nós e permite que eu gaste o meu rico dinheirinho privilegiando o pequeno, os artesãos e estilistas locais, com produtos únicos, delicados, com ótima qualidade e um preço justo, e lembre- se, o justo nem sempre é o mais barato, por que a próxima vez que você achar caro um produto artesanal comparado em alguma grande marca, reflita quanto vale o sangue do ser humano escravizado por conta do nosso consumo desenfreado!

A modelaria  (mochilas, bolsas, necessaire, tudo artesanal e vegano)

Loja Prosa (roupas, biquinis, lindos)
Com Lola (um projeto lindo que ajuda crianças em situação de risco)
Carolina Ancasy (roupas artesanais)
Leila Alpargatas (alpargatas artesanais)
Folk Boots (sapatos artesanais)
Vitalina Recife ( sapatos artesanais)
Ana Agnol ( acessórios incríveis)
787 Shirts (camisetas descoladas em Blumenau)
E vocês? Onde e como consomem?
Anúncios