O mundo de quem nada faz e muito critica

Certa vez, conheci um garoto que depois veio a ser muito meu amigo. Meu primeiro contato com ele foi chocante, queria sair correndo e nunca mais falar lhe dirigir a palavra rsrs. Ele dizia que odiava os humanos e queria morar numa ilha deserta ou tacar uma bomba e acabar com o mundo inteiro, algo do tipo.  Estava sempre repetindo como os humanos eram ruins, perversos, hipócritas.

Esse não é o meu único amigo pessimista, tenho alguns outros. Eles não acreditam muito na bondade humana, não fazem nada pra ninguém, vivem excluídos no mundo deles. Do alto de todo o meu otimismo, essas amizades sempre foram difíceis demais para mim, porém, ultimamente, estou quase tendo que concordar com essa filosofia.

A gente sabe que há pessoas que não devemos confiar. Todo mundo aqui já deve ter sido passado pra trás, sofrido com uma amizade falsa, traído por um namorado ou coisa assim do tipo. Mas aí pensamos “poxa, é apenas um fruto podre no meio do jardim, sigamos em frente”, eu não vou deixar de me relacionar com as pessoas apenas porque algumas foram sacanas.

E você segue em frente. A gente acaba desenvolvendo algumas técnicas de auto preservação, nem todo mundo mais chamamos de amigos, nem todo mundo mais a gente sai correndo de madrugada pra ajudar, embora a gente não se envolva profundamente com mais ninguém, julgamos todas boas pessoas. Aí, vem o facebook e meio que te faz acabar com boa parte do otimismo. Muitas das pessoas boas, destilam preconceito nas redes sociais ou piadinhas tolas. Em época de ânimos esquentados por conta do momento político então, a gente olha de tudo. Veja bem, já me declarei trocentas vezes ao mundo como de esquerda e com viés socialista. Eu não quero dizer que basta alguém ser de direita e capitalista que ela  já é o demônio para mim, não é nada disso. Mas, independente da sua ideologia política eu imagino que todos nós devêssemos desejar a mesma coisa: um país decente para T-O-D-O-S. Por todos, eu quero incluir, negros, pobres, LGBT, nordestinos, moradores de rua, usuários de droga, a tal da escória. Em “todos” não está incluido apenas a minha família. Eu já disse também, não me interessa em ter casa com grandes muros, carros do ano, e roupas de grife, se ao atravessar a rua eu vou ver uma criança cutucando o lixo para sobreviver. Quando eu falo que tenho um viés socialista, eu não quero dizer que você não possa usar o seu iphone, eu quero que T-O-D-O-S possam ter um iphone, inclusive a criancinha chinesa que o produz. A gente defende a igualdade, uma renda justa e honesta para todos. A supremacia do interesse público no lugar do particular, que a saúde, a educação e a segurança pública seja efetiva e que eu não precise pagar imposto + plano de saúde, escola e o guarda da rua para me sentir superior. É isso que a gente quer, é para isso que a gente trabalha.

É atrás dessa igualdade, desse mundo justo, dessa ideologia que a gente vive. Que a gente se voluntaria, que a gente “perde” finais de semana, fazendo ações em creche, em asilos, nas ruas. É por conta dessa ideologia, que abrimos mãos de nossos luxos. Não dá pra ser feliz com luxo sabendo que tem gente passando fome, não dá. Se você consegue, você é uma pessoa ruim, desculpe! Não dá pra viver nesse mundo pensando ” mas é fruto do meu trabalho, ninguém tem nada a ver com isso”. É fruto do seu trabalho o consumo de itens produzidos com mão de obra escrava, durma com esse barulho.

Agora, pior do que isso é quem não faz nada e ainda quer criticar. O problema dessa democracia representativa é que tem gente achando que basta votar. Basta votar e jogar lixo na rua. Basta votar e não registrar seus empregados. Basta votar e falsificar carteirinha de estudante para ter meia entrada. Tem dinheiro pra ir pra Europa, mas não tem dinheiro pra pegar um cinema, vê se pode. Aí, essas pessoas sentam nas suas cadeiras do alto de toda a sua pompa “porque trabalham” e acham que podem apontar seus dedos para os outros. Agora, fazer algo ninguem quer né? Ninguem quer sair do trabalho e fazer uma boa ação. Ninguém quer, perder um sábado, ninguém quer algo que dê trabalho. Todo mundo só quer saber de criticar.

Aí, eu vejo essas coisas e lembro daquele meu amigo lá do começo do texto. Tem hora que dá vontade mesmo de explodir o mundo e começar do zero, porque falhamos muito na missão. Como que a gente quer um mundo melhor se só pensamos em nós e em mais ninguém? Tem horas que o meu otimismo se esvai e a unica vontade que dá é de fugir para as montanhas enquanto é tempo.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s