A crise da segunda feira improdutiva

Quando o teu dia começa com uma taça de vinho no café da manhã, isso só pode ser um aviso. Ainda não sabia exatamente qual, até o relógio bater as 16:00 horas e o meu espírito começar a mudar. Acordei preguiçosa e me sentindo culpada. Depois de maratonas loucas de trabalhos enfrentando um negócio no começo na ânsia da decolagem + carnaval + festival brasileiro de cerveja enquanto a gente tenta equilibrar a vida pessoal com momentos de lazer bagaceirísticos e passar por algumas decepções, tudo em mim enfrentava uma leve estafa.  Minha cabeça tava falhando. Meus prazos se acumulando. Minha rotina na academia se esvaindo. Fugi quatro dias para São Paulo. Voltei me sentindo recarregada.  Aí chegou o final de semana. O marido trabalhou loucamente e eu acabei me influenciando pelos horários trocados dele. Quando a segunda -feira bateu, lá tava eu toda atrapalhada nos horários de novo.

Ok. Eu me dei mais um dia fora dos compromissos programados. Continuei o desentralhe no meu puxadinho, fiz marmitas da semana, fiz mais planejamentos e de repente…, lá tava eu chafurdando numa bad que eu não sabia da onde tinha vindo. Oi amiga, como assim?? Não te ensinaram que chegar sem avisar é indelicado? hahahaha!

Costumo ser implacável nas minhas tarefas. Costumo lidar maravilhosamente bem com rotinas puxadas e longas horas de trabalho. Costumo lidar com maestria tendo dez mil tarefas ao mesmo tempo. Arrisco a dizer inclusive, que essa sempre foi a minha característica preferida ( e que me faz ser odiada pela maioria, porque eu adoro julgar quem não consegue hehehe).  Mas, sabe gente…não ter um chefe, alguém pra prestar conta, ou um ponto pra bater às vezes pode ser desalentador. Quando a gente nem percebe estamos acostumados com o ” daqui a pouco eu faço, não tem problema” e quando você vai ver, não é o chefe que tá te cobrando, mas sim a vida e a vida quando vem amiga, tá nem aí para os teus motivos. Ela não senta contigo e fala ” vem cá, o que está acontecendo você? porque esse rendimento tão baixo?”. Hoje, na bad inavisada eu resolvi me adiantar a vida e puxar a responsabilidade pra mim de novo. Se eu já odeio qualquer pessoa me cobrando, imagina só quem me cobra assim, sem nenhuma cordialidade.

Aí tava aqui, pensando e repassando todas as minhas coisas. O que eu preciso fazer, pra quando, como e tudo mais e pensei: cara, sou pior que a vida =) Acho que somos né!? Aquela velha história que somos o nosso pior inimigo é tão verdade, para os dois lados. Quando a mão esquece o equilíbrio a gente entra em uns desesperos e paranoias sem precedentes. É a hora de respirar, de se acalmar. Eu escrevo. Tudo assim meio sem nexo mesmo, mas é a forma de me acalmar e ja já tá tudo bem. Eu vou tomar uma outra taça de vinho, mas dessa vez vou falar pra ela: amiga, cê tá aqui pra me dizer que o amanhã vai ser bom, sai pra lá com esse pessimismo =)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s