0

Jalapão com a Korubo: Uma viagem encantada.

Esta semana voltei dos meus quinze dias de férias. Nesse ano, eu,meu marido e dois amigos combinamos de ir ao Jalapão, um destino ainda pouco conhecido e explorado. Com a proximidade e, por eu ser maranhense, resolvemos esticar até a Chapada das Mesas e tenho apenas uma coisa para dizer pra vocês: INCRÍVEL.

Para o Jalapão fechamos com a empresa Korubo, que mantem um acampamento na beira de um dos últimos rios de água potável do mundo. Nós sabíamos que o acampamento era com conforto e por isso fechamos a viagem. Temos um espírito aventureiro nível moderado e, sinceramente, não quero que as minhas férias sejam cheias de perrengues, mas a gente não imaginava o nível do serviço que estava por vir.

Pois bem, chegamos um dia antes em Palmas e nos encantamos com a cidade. Olha como o preconceito com o nosso país é triste, eu, que sempre pesquiso tudo bonitinho, não pensei que pudesse encontrar nada de interessante em Palmas. Achei que fosse apenas uma capital perdida no meio do Brasil e nem me empolguei em turistar por lá. Assustamos logo saindo do aeroporto e dando de cara com as largas avenidas e a cidade toda organizada e um clima mais agradável do que imaginávamos. No dia seguinte, alugamos um carro na Movida que ficava perto do nosso hotel girassol (RECOMENDADÍSSIMO) e fomos passear pela cidade. Fomos às praias de rios, bem organizadas e com ótima comida, fomos até um distrito próximo chamado Taquaruçu, onde dizem haver mais de 80 cachoeiras, porém, as sinalizações e indicações são péssimas e a noite fomos no restaurante Cabana do Lago e na feira típica da 304 sul. Recomendo todos os passeios.

De tão encantada que fiquei com Palmas fui pesquisar um pouco melhor no nosso grande amigo Google e descobri que é uma das cidades mais seguras do Brasil e que seu saneamento básico chega a quase 98% da população, um número incrível. Todos os moradores foram só elogios para a cidade e esses turistas bobos aqui também. Fiquei envergonhada com meu preconceito.

Bom, no sábado seguimos viagem com a Korubo para o acampamento. É o dia inteiro na estrada de terra, mas não achamos cansativo pois eles vão parando para algumas atividades, como almoço, cachoeira e os xixis ecológicos (a.k.a no matinho hehe). Chegamos quase a noite, onde eles passam as instruções de como tudo funciona.

O primeiro “uau” saiu quando vimos as cabanas. Camas confortáveis, banheiro bonitinho e até um armário dentro de cada “quarto”. O banho é coletivo, tem o vestiário feminino e o vestiário masculino, chuveiros ótimos e direito até a água quente. A parte do banho era divertidíssima, pois geralmente era a noite quando voltávamos dos passeios e era no escuro, com direito a gritaria por conta dos bichos que a gente achava e rolava um trabalho em equipe para matá-los hahahaha. Aliás sobre os bichos, eu sou meio medrosa mas só vi aranha e era tranquilo. Eles passam as informações de sempre manter as barracas fechadas para não ter problema e foi tranquila. A respeito dos mosquitos, achei que fosse ser pior, mas é bom se preparar, o ideal é levar o repelente exposis extreme que é porreta.

Depois de instalados, a equipe prepara um welcome drink para a galera. Caipirinhas de graça para todo mundo se enturmar e logo após o jantar. No meu grupo, o alcool foi top hahaha. Fizemos uma apresentação de todo mundo e dali para frente a gente se conhecia desde sempre. Aliás, é importante dizer em como o meu grupo era sensacional, estávamos em 27 pessoas desconhecidas, a maioria viaja sozinho e o fato de não ter internet ajuda muito, a gente conversa, brinca, troca experiências, se ajuda, enfim, faz coisas que até já havíamos esquecido, como cantar músicas no caminhão para driblar as distâncias percorridas, fizemos muitos amigos.

Ao longo dos dias fizemos canoagem, fomos nas dunas ver o pôr do sol, visitamos os fervedouros (sensacional), a cachoeira da formiga (linda, linda, linda), a trilha para o mirante do espírito santo debaixo de chuva ( que eu sofri muito, se não tiver preparo físico e nem força de vontade, não vá), a flutuação, cachoeira da velha e, por fim a prainha da velha. Aliás, passamos até por uma terra do Pablo Escobar #narcos.

Todos os passeios tem lanches, água e instrutores maravilhosos. A equipe da Korobu tá mais do que de parabéns, o serviço é coisa fora da realidade, a comida gente é MARAVILHOSA, meu marido que é magricela engordou três kilos, o Raimundo que era o cozinheiro era o mais amado por todos hehehe. Tinha também o China (motorista e guia), o Rodrigo( guia) o Tião (da cozinha) e muitos outros. Sério, fazia muito tempo que não era bem tratada, bem atendida dessa forma. A maioria da equipe com uma simplicidade encantadora, olhos brilhantes, felizes da vida por nos explicar sobre a vida no cerrado, sobre os bichos, as frutas, as queimadas, as vegetações, coisas de fazer o coração pulsar de alegria numa intensidade que poucas coisas da vida nos proporcionam.

A viagem é incrível. Vale cada centavinho e pelo que eles oferecem o preço é mais do que justo. É um perrengue totalmente glamouroso, tinha gente de todas as idades e bastante gente mais velha, o meu grupo era o dos caçulas, mas isso em momento nenhum foi um problema.

Essa com certeza vai ser uma daquelas viagens que arrancarão sorrisos de mim eternamente, sempre que eu lembrar dessa experiência única. Recomendo a todos e espero um dia poder voltar.

A gente é muito feliz no Jalapão ❤

DCIM100GOPRO

barraca

2

Aventuras e emoções em Santiago no Chile!

No último feriado eu e meu marido pegamos um avião e rumamos para Santiago. Eu sou uma apaixonada por Buenos Aires e sempre ouvi falar que quem gosta da Argentina ama ainda mais o Chile, logo, a curiosidade era imensa.

Num voo de pouco menos de quatro horas pela GOL ( que tem virado a minha preferida com tantas promoções e aviões novos), antes mesmo de pousar, o Chile já nos encanta com aquela imensidão chamada Cordilheira dos Andes. Lindo demais gente, mas confesso que para quem tem medo de avião como eu, ficar ouvindo toda hora que por motivos de segurança cintos de segurança deverão ser afivelados e o serviço de bordo será suspenso, é meio tenso..rsrs!

Santiago é uma cidade muito bem organizada, muito bonita, bem arborizada, cheia de praças, parques AND bicicletas. Sério, eu e meu marido que estamos super na época das bikes amamos e nos encantamos. Não tem tanta ciclovia, mas como tem praças de ponta a ponta eles andam por ali. Há corredores de ônibus iguais aos de São Paulo, metrô excelente (cheio, é claro) e ruas planas ótimas para caminhar até os pés pedirem arregos. Aliás, aqui fica o meu protesto contra o Itaú…Alô Alô, as bicicletas dos amigos chilenos são MUITO MAIS LEGAIS e numa quantidade infinitamente maior do que a nossa (tipo dou cinco passos e encontro uma estação de bike).

O ponto baixo da viagem é que fomos assaltados voltando do bairro Lastarria, mas não quero falar sobre isso por que não vale a pena ficar chorando pelo dinheiro perdido..hehehe!
O outro ponto baixo é que como fomos no feriado da Páscoa MUITA coisa estava fechada. Todos os bares sensacionais que havia listado aqui no Brasil ainda estavam fechados e isso, para quem mora em São Paulo é inadmissível..hehehe..Então, essa parte de agitação ficou meio prejudicada. É claro que com isto, tivemos algumas boas surpresas que falo no próximo post 😉

Outra informação muito importante que eu quase não encontrei enquanto eu programava a viagem é a respeito do #quantocusta. Gente, se você assim como eu se mata em Buenos Aires, tenha cuidado em Santiago. Tudo ABSURDAMENTE caro. Em primeiro lugar nosso câmbio estava péssimo, coisa de 1 real para 175 pesos chilenos por conta do feriado, mas a média é 1 real para 185 pesos chilenos. Com isso, quase nenhuma refeição saía por menos de R$160,00 o casal (cerca de $30.000 pesos). Refeições normais, sem entrada, sem sobremesa, com prato principal e umas bebidinhas ( cerveja ou pisco sour, nada de vinho), isso me assustou bastante. Por falar em refeição, a culinária de Santiago não me encantou muito. Abusei de comida peruana e ceviche no segundo dia e estava mesmo atrás era de um bife de chorizo com papas fritas por que somos #teamogro. Mas para fazer jus, eu comi um camarão no Hard Rock de lá SENSACIONAL mesmo!

Eu não sou de fazer compras quando viajo, mas estourei bastante o orçamento fazendo o básico. Os passeios do tipo #temquefazer são baratos ou até mesmo de graça ( pelo menos isso né hehe). Lá para o terceiro dia, que era uma segunda-feira portanto, dia normal em Santiago havia muitos restaurantes não turísticos com seus pratos executivos e com isso, a dor no bolso foi menor, mas, por exemplo, o cardápio com entrada, prato principal, uma sobremesa e uma bebida era coisa de $4.000 pesos mais ou menos R$23,00 ( digno). Eu acho que eu viajo de uma forma básica, não sou mochileira, mas também não sou de luxos, sou bem classe média para ser sincera hahahahaha…Portanto, fica aí o aviso se você como eu anda vasculhando a internet atrás de informações sobre os valores e quanto levar. Uma viagem para um casal de 3 dias e meio gastamos mais ou menos R$1.500,00.

O saldo da viagem é que eu voltaria com certeza, mas eu ainda prefiro Buenos Aires. Achei Buenos mais alegre, mais viva, mais festeira, mais jovial, com mais feirinhas e coisas diferentes, mas as duas são ótimas e imperdíveis.

Falo no próximo post sobre o que fazer por lá!

Beijos